Jesus estava prestes a ser preso, torturado e morto. Diante da expectativa de sua morte e do triunfo de Deus sobre o reino das trevas, o Mestre se dirige ao Getsêmani para orar.

O evangelista Marcos declara que Jesus separou Pedro, Tiago e João os leva um pouco mais adiante dos outros discípulos e lhes declara a angústia de sua alma (v. 33) pedindo-lhes, logo em seguida, para orar com Ele (v. 34).

Após orar por algum tempo o Mestre retorna aos três e descobre que eles, ao invés de estarem orando estavam dormindo.

E, neste contexto, chegamos ao versículo que muitos interpretam de maneira equivocada. Quando Jesus lhes declara que o espírito está pronto, mas a carne é fraca, o que Ele desejava apresentar é que, em virtude das nossas limitações físicas, muitas vezes não conseguimos nos dedicar ao Reino como gostaríamos.

No versículo 40 o evangelista Marcos ainda acrescenta que, pela segunda vez, os discípulos dormiram, pois "seus olhos estavam carregados". A nossa carne é extremamente fraca não no sentido de que somos tendenciados ao pecado, mas no sentido de que a corrupção física de nosso corpo mortal nos aflige.

Quantos já não cochilaram durante a oração por causa do cansaço do dia? Quantos não deixaram de absorver os ensinos da pregação por causa de dores no corpo?

Sabendo que sua carne, que seu corpo físico é extremamente fraco, atente-se para a orientação do Mestre em estar sempre em vigilância e em oração, não permita que as suas limitações física e emocionais o impeçam de desfrutar da graça e da presença de nosso Deus pai.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.