Enquanto ensinava a multidão Jesus é interrompido por um homem que lhe roga para que o Mestre diga a seu irmão que lhe reparta a herança. Não sabemos se aquele homem estava cobiçando a parte que era de direito do irmão ou se o irmão estava tomando além do que lhe era permitido.

Contudo, a resposta do Mestre, sendo precisa, nos indica que a sua real motivação não era a justiça, mas a avareza.

Diante disto Jesus declara que a vida humana não consiste naquilo que possuímos. Creio que nós, muito mais do que os judeus do primeiro século, sabemos o quão terrível é viver em uma sociedade que valoriza o ter em detrimento de tudo.

O ensino do Mestre prossegue e Ele conta uma parábola: um homem rico havia alcançado um grande sucesso em sua colheita a ponto de não ter condições de armazenar seus bens. Sua melhor opção era destruir todos os celeiros e construir outros maiores.

Mas enquanto sua mente alimentava a ideia de viver folgadamente o restante de sua vida, Deus lhe interrompe. Naquela mesma noite, antes mesmo que qualquer parede de seus antigos celeiros fosse derrubada, sua alma seria exigida e ele se apresentaria pobre diante do Criador.

Jesus não está nos ensinando que o trabalho ou a riqueza são errados ou que possuir dinheiro é pecaminoso, mas sim que uma vida motivada pelo amor ao dinheiro e alimentada pela avareza não passa de uma casca oca, sem valor algum diante de Deus.

Um homem ou mulher que vive em prol de uma conta bancária está gastando, inutilmente, sua energia e sua vida diante da eternidade que se aproxima.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.