Muitas vezes somos tendenciados a esquecer a Ira de Deus, falamos muito sobre Seu amor pelo mundo, mas deixamos de lado a sua Ira como se ela não existisse.

O calvário não representa apenas o amor de Deus entregue em favor da humanidade, mas também a ira santa do Senhor derramada sobre Jesus.

O Apóstolo João ao registrar a conversa do Mestre com Nicodemos, descreve não apenas o amor de Deus pelo mundo, mas também a Ira de Deus contra os pecadores.

Deus amou o mundo e, por causa deste amor incomparável, enviou Jesus para nos livrar de Sua Ira Santa e Justa contra o pecado, contudo o ensino de Cristo é claro somente através da fé nEle somos livres da Ira de Deus sobre o pecado.

Estávamos todos imersos em pecados e afastados do Senhor, mas em Cristo encontramos a porta para sairmos do estado de morte espiritual. Mas “... aquele que não crê no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus sobre ele permanece”.

Para ilustrar, vamos imaginar que estamos todos em um campo aberto e a Ira de Deus é como se fosse um raio. Todos nós estávamos completamente expostos, mas a Cruz de Cristo, assim como um para-raios, atraiu para si a Ira divina protegendo aqueles que sob ela se refugiam.

Deus amou toda a humanidade e entregou seu Filho Jesus por ela, mas não podemos negar que aquele que permanece em pecado, seguindo uma vida longe de Cristo está, na realidade, se afastando do amor de Deus, está se afastando do Calvário.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.