Ao apresentar as obras da carne e o fruto do Espírito o Apóstolo Paulo reforça declarando que aqueles que foram alcançados por Jesus devem crucificar suas paixões e suas concupiscências carnais.

Quando lemos a lista que Paulo faz das obras da carne percebemos que, por mais variados que sejam os pecados apresentados, todos possuem a mesma origem: o coração obscurecido do homem.

Não importa qual seja o pecado, todos eles são fruto de um coração imerso em escuridão que deseja encontrar prazer e realização em tudo menos em Deus. O pecado nada mais é do que o ser humano tomando o lugar de Deus e definindo o que ele acha ser o ideal para si mesmo.

Paulo, no entanto, também nos apresenta uma via alternativa às obras da carne: o fruto do Espírito. Se você ler a lista no versículo vinte e dois irá perceber que, naturalmente, ninguém é capaz de desenvolver as virtudes listadas.

Sabendo disso o Apóstolo escreve “os que são de Cristo crucificaram a carne “. Em Jesus encontramos o poder necessário para crucificarmos a nossa própria vontade, Sua graça nos capacita a cumprir a Vontade Soberana de Deus.

Necessitamos de Cristo e de Sua obra redentora para crucificar nossa carne, sem Jesus por mais que pratiquemos boas obras iremos, inevitavelmente, apenas patinar sobre as obras da carne e jamais alcançaremos o fruto do Espírito.

A morte de Cristo lhe dá a possibilidade e o poder necessário para você vencer o pecado, crucificar suas próprias paixões e viver de acordo com a Vontade de Deus.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.