Esaú, voltando cansado de um dia de caça, percebe que seu irmão havia preparado um guisado de lentilhas e lhe pede um pouco. Jacó, por sua vez, lhe propõe uma troca: o guisado de lentilhas pela bênção da primogenitura.

A princípio podemos pensar que Jacó agiu com má fé, roubando a bênção de seu irmão. Contudo o próprio texto bíblico nos revela que Esaú era profano e desdenhava dos caminhos da justiça (leia Gênesis 25:32; Hebreus 12:16).

Quando Isaque envia Jacó para Padã-Arã, a fim de livra-lo da morte que Esaú estava lhe preparando, ele orienta seu filho lhe dizendo para que não se casasse com nenhuma mulher cananeia, pois eram más aos seus olhos e, ao saber que seu pai havia dito isso a seu irmão, Esaú se  casa com uma filha de Canaã (Gênesis 28:1-9).

Esaú conscientemente desprezou a bênção espiritual a fim de satisfazer um desejo passageiro e carnal, era profano não apenas com as coisas espirituais, mas também desprezava e afrontava a autoridade de seus pais, desonrando-os.

Por causa disso Esaú foi desprezado por Deus como um dos homens que seriam usados na aliança e seu irmão, Jacó, passou a integrar o plano divino por seu sincero desejo em receber de Deus as bênçãos espirituais.

Não seja como Esaú, não despreze as coisas espirituais.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.