Neste final de semana comemoramos a Páscoa, relembramos a morte de nosso Senhor para remissão de nossos pecados e quando olhamos para Seu sacrifício vicário é impossível não lembrar do maior mistério do Evangelho: a encarnação do Verbo.

Não vamos nos aventurar nas tentativas de procurar explicar a encarnação, mas vamos apenas olhar atônitos e maravilhados para este gracioso milagre: Deus se tornou homem.

O Verbo habitou entre nós, sorriu como nós, se alegrou, se entristeceu, sentiu nossas dores, viveu o que vivemos, se tornou como nós, mas ao contrário de nós foi Santo para que em sua justiça fôssemos justificados de nossa injustiça.

O Apóstolo João escreve sobre esse evento grandioso e declara que nEle a glória do Pai, manifesta em graça e verdade, nos foi revelada.

Jesus nos revelou um Deus gracioso, bondoso, um Senhor misericordioso e amável. Um dia Ele há de julgar, com justiça, os vivos e os mortos e sobre os ímpios derramará a Sua Ira.

Mas Cristo, em Sua encarnação para morrer a fim de pagar a dívida que eu e você contraímos, revelou a inexplicável graça de Deus que nega Seus próprios direitos e a Sua própria vontade para salvar aqueles que creem nEle.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.