Nos desertos áridos da Palestina surge uma figura excêntrica, um homem que, vestido de peles de camelo, anunciava a chegada do Reino de Deus pregando o batismo para o arrependimento.

Diante da iminência do aparecimento do Messias prometido os ânimos logo se elevaram e João Batista foi questionado se ele era o Messias que haveria de vir. Ciente de sua missão ele logo se empenha em indicar quem era verdadeiro ungido de Deus.

Ao utilizar a expressão "Cordeiro de Deus" João recorre à memória religiosa do povo que lhe ouvia. A figura do cordeiro era associada ao perdão de Deus concedido à nação mediante o sacrifício daquele animal inocente e ao traçar este paralelo João Batista revela ao povo que o ouvia que Jesus seria quem levaria sobre si os pecados de todo o povo.

Jesus o Cordeiro de Deus enviado ao mundo carregou nossas transgressões, pagou inocentemente pelas nossas iniquidades e nos abriu um caminho até o Pai garantindo pleno e irrestrito acesso ao Trono de Graça.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.