Jesus nos ensina como devemos nos aproximar de Deus, como devemos busca-lO. Quando lemos este texto automaticamente pensamos que devemos apenas nos manter em secreto diante dos olhos dos homens, dos outros.

Mas não se trata apenas de estar em oculto aos olhos humanos, mas também em oculto aos nossos próprios olhos, Bonhoeffer escreve, em sua obra “Discipulado”, que “Quem ora já não conhece a si próprio, mas apenas Deus” (p. 127).

Ou seja, quando nos prostramos em oração diante de Deus devemos reconhecer apenas ao Senhor, mas ninguém, nem a mim mesmo devo ter em consideração, pois como Bonhoeffer escreve:

“... é muito mais perigoso quando eu me torno o próprio espectador de minha oração, quando oro diante de mim mesmo. [...] Sou meu próprio espectador, ouço a mim mesmo. Por não querer esperar até que Deus ouça meu pedido, por não querer esperar até que Deus revele ter ouvido minhas preces, respondo eu mesmo à oração. [...] Já tenho a minha recompensa” (pp. 127-128)

Devemos não apenas nos refugiar em nosso lugar secreto e fugir dos olhos daqueles que estão ao nosso redor, devemos nos refugiar de nossos próprios olhos, de nossa própria autojustificação.

Pois quando eu torno o espectador de minha própria oração já não estou mais no oculto, quando eu mesmo valido minha própria oração e a reconheço como digna diante de Deus já recebi meu galardão: o meu próprio reconhecimento.

Jesus nos chama para nos escondermos no secreto, nos aproximar de Deus não com base naquilo que somos, mas com base naquilo que Ele é: um Pai Amoroso que responde nossas orações.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.

...

P.S.: você deve ter notado que gostamos do livro "Discipulado" escrito por Dietrich Bonhoeffer, se quiser comprá-lo utilize nosso link: https://go.littleson.com.br/discipulado