João Batista havia sido preso por Herodes e, enquanto estava em seu cárcere, ele chama seus discípulos e os envia até Jesus com uma pergunta "Ele era Aquele que haveria de vir ou ele deveria esperar outro?"

A pergunta de João Batista é válida e importante afinal ele estava preso, correndo o risco de ser morto a qualquer momento e, por este motivo, deveria depositar sua fé no Messias verdadeiro. Ele não tinha tempo a perder.

Diante disso o Mestre realiza uma série de milagres e de sinais que, aparentemente, não têm significado algum e, logo em seguida, manda os discípulos de volta a João Batista.

Mas, ao contrário do que possa parecer, há uma lógica, um motivo para isso. Jesus estava trazendo à memória de João Batista as profecias bíblicas, mais especificamente a profecia de Isaías 35:5,6.

Jesus, diante da crise de fé de João Batista, não o condena e não o afasta de si, mas lhe oferece as evidências para que ele cresse e fosse salvo por Ele.

Hoje encontramos muitos desafios, muitas questões e muitas dúvidas, nos deparamos com informações falsas a respeito de Jesus e, em uma sociedade conturbada, corremos o risco de nos deixar levar pela maré da incredulidade.

Mas o Mestre, ainda hoje, nos chama à parte, nos faz lembrar das profecias, nos relembra que Seu Reino está entre nós e nos apresenta as evidências necessárias para a nossa fé florescer.

Ele é Aquele que haveria de vir e, assim como João Batista pode descansar nessa certeza, você também pode. Apenas confie.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.