O profeta Miquéias, assim como o profeta Amós, exerceu seu ministério em uma região agrícola de Judá, presenciou a corrupção dos governantes de Israel, a iniquidade dos homens que o cercava e a desonestidade dos mercadores e juízes.

Miquéias sabia que não poderia buscar auxílio no governo, pois o príncipe se aliou ao juiz em corrupção (v. 3), não encontraria na sociedade apoio algum, pois o melhor e mais reto é pior que espinhais (v. 4).

Diante da iniquidade social, do desprezo da nação pelas coisas santas e do aumento da crueldade e maldade, o profeta olha para o Eterno e deposita nEle a sua confiança. É no Senhor que ele confiará e será nEle que sua alma descansará.

O cenário social que vemos hoje não é muito diferente do que Miquéias viveu, iniquidade generalizada, valorização do pecado, corrupção, homens e mulheres profanos e inimigos de Deus.

E, assim como Miquéias, não será no sistema deste mundo que encontraremos salvação e auxílio! Quando colocamos nossos olhos no poder e na capacidade humana deixamos de confiar em Deus, em Seu poder e em Sua provisão.

Hey, pare de esperar nesse mundo caído, pare de confiar em quem o próprio Deus por meio do profeta declara ser pior do que espinhos. Olhe para a eternidade, espere naquele que é, que nunca falha e que em tudo tem um propósito.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.