Paulo, autorizado pela cúpula religiosa de Jerusalém, se dirige à Damasco com um objetivo claro e definido: destruir aquilo que ele julgava ser uma seita herege.

Contudo, no meio do caminho, Ele se encontra com Cristo e o poder da glória manifesta a ele no esplendor o cega completamente tornando-o totalmente vulnerável. O homem que tinha toda a autoridade humana em mãos, agora precisou ser guiado até a cidade.

Enquanto o futuro Apóstolo orava e jejuava o Senhor convoca um de Seus servos para orar por Paulo. Relutante Ananias responde afirmando ao Senhor que aquele homem estava ali para perseguir os Seus servos.

Deus, no entanto, lhe responde afirmando que Paulo era um vaso escolhido dEle e, nesta resposta, nos deparamos com uma afirmação que, aos nossos ouvidos que constantemente são acariciados pelo hedonismo de nossa sociedade, pode soar de forma terrivelmente desagradável.

"Eu lhe mostrarei quanto deve padecer pelo meu nome". Sabemos que o Apóstolo Paulo sofreu terrivelmente por amor ao Evangelho e, se analisarmos em uma perspectiva puramente humana, seu ministério foi um fracasso, morreu sem nada sob a perseguição romana.

A declaração de Deus, no entanto, não deveria nos soar estranha, pois o próprio Jesus declara que devemos tomar a nossa cruz e segui-lo.

Não se trata, contudo, de carregar a cruz que foi feita sob medida para nós, ou a cruz que nos abre as portas ou ainda que nos ajuda a passar sobre os vales e adversidades. É tomas o pior instrumento de tortura e execução do império romano e subir o Gólgota junto de Jesus até a morte!

Foi no sofrimento de Paulo, nas adversidades, na humilhação e na perseguição que o Senhor lhe revelou as doutrinas mais belas da graça.

Seguir a Jesus não é caminhar rumo ao sucesso, à glória deste mundo, ao dinheiro ou à fama. Seguir a Jesus é subir o Gólgota com um único propósito: morrer para minha vontade, seja ela boa ou má, e viver conforme a vontade de Deus.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.