O escritor aos Hebreus ao tratar sobre a salvação e a perseverança na fé nos apresenta a promessa feita por Deus ao patriarca Abraão. Ao estabelecer a sua aliança o Senhor, não tendo outro maior que Ele, jurou por si mesmo (v. 13) e, sob essa garantia, o patriarca alcançou a promessa que lhe havia sido feita.

Sabendo que é impossível que o Senhor minta (v. 18) e que Seu conselho é imutável (v. 17), assim como o patriarca Abraão confiou na promessa que Deus havia feito, nós também podemos descansar na certeza de que Ele é fiel para cumprir em nós a boa obra da salvação.

Quando olhamos para as circunstâncias e para a instabilidade que nos cerca somos engolidos pela angústia, pelo desespero e pela desilusão. Não há homem que possa, através de seu próprio braço, sustentar a si mesmo.

Mas, diante do mar agitado e turbulento, o escritor aos hebreus nos lembra que em Deus podemos manter a firme "esperança proposta; a qual temos como âncora da alma" (v. 18b, 19a).

A promessa de salvação feita por nosso Deus é a âncora que mantém nossas almas firmes na certeza e na confiança de que tudo ainda permanece sob as mãos de nosso Pai Eterno.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.