Depois de perder tudo o que tinha, desde os bens e riquezas até a própria saúde, Jó reconhece que não há nada neste mundo que possa impedir os planos de Deus, não há nada que possa parar a Sua soberana vontade.

Jó era um homem justo, amava a Deus, fazia o que era certo e se desviava do mal, como o próprio Senhor testemunha, mas até então ele não havia compreendido, realmente, ao Senhor. Ele ouvia falar de Deus, mas somente após seu sofrimento ele pode afirmar que agora ele via ao Senhor.

Deus desejava caminhar com Jó, assim como caminhou com Enoque, mas para isso Ele precisou demonstrar a sua insignificância, sua fraqueza e sua fragilidade.

Jó precisou perder tudo para compreender que o Senhor não estava interessado nos sacrifícios que ele oferecia, mas sim em sua vida.

Talvez nós, neste momento de calamidade, assim como Jó estamos sendo alertados para o fato de que não é o que fazemos, o que produzimos ou possuímos que vale diante de Deus.

Talvez você conheça a Deus de ouvir falar, mesmo estando há tanto tempo perto de Sua Presença, mas hoje Ele deseja que você o conheça pessoalmente, face a face.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.