“O Senhor é o meu pastor”, talvez o trecho mais conhecido de todos os salmos, bem como o salmo mais conhecido. Nele aprendemos sobre o cuidado perfeito do Senhor Deus e Sua atenção em cada necessidade de Suas ovelhas.

O problema é que, talvez, estamos compreendendo o que o salmista escreve da maneira errada. Se Deus é o meu pastor e nada me faltará então, consequentemente, tudo aquilo que eu não tenho não me pertence.

Infelizmente temos seguido o fluxo deste mundo, de nunca estar satisfeito, de deixar de agradecer o que temos para reclamar daquilo que não possuímos. De acusar o Senhor de injusto e cruel por não nos dar a cereja enquanto temos o bolo inteiro.

Mas o salmista nos leva a refletir sobre o maior bem que o homem pode conquistar, o maior tesouro que ele pode encontrar.

Nada nos faltará, pois tudo o que precisamos já possuímos: o próprio Senhor. E tudo o que não temos não nos falta, pois só temos falta daquilo que um dia já tivemos. Mais do que isso, aquilo que não temos não deve ser motivo de extrema preocupação e ansiedade como se, enquanto não possuirmos, nossa vida não será perfeita.

Quando passamos a viver em prol das coisas perdemos tudo o que temos, perdemos o próprio Deus, mas quando compreendemos que se temos o Pai possuímos tudo, pois Ele mesmo prometeu cuidar eternamente de nós, então entendemos que não são as coisas materiais que devem ter nossa atenção e não são elas que devem definir nossa gratidão.

Hey, pare e pense um pouco, olhe para o dispositivo que você está utilizando para ler esse devocional, muito provavelmente ele pagaria o salário, por anos, de quase metade da população mundial.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.