Ao escrever sobre os heróis da fé e convocar cada cristão para correr a sua jornada olhando para Jesus o escritor aos hebreus nos alerta para o perigo da amargura.

Estamos sujeitos às mais diversas dificuldades, perseguições e opressões, sabemos que o mundo nos odeia e que, a todo instante, procura destruir a nossa fé. Sabemos que pessoas próximas se levantam contra nós simplesmente por causa de nossa fidelidade ao Senhor.

Mas não é apenas por causa da nossa fé que sofremos perseguições ou problemas, em todas as formas de relacionamento interpessoal iremos ter atritos, aborrecimentos. Contudo, em momento algum podemos permitir que as circunstâncias provoquem em nós um coração amargurado.

O escritor aos hebreus associa um coração cheio de amargura, de rancor, com um coração que envenena outras pessoas, um solo infrutífero, estéril. Quando alimentamos a amargura em nosso coração nos tornamos idólatras, elevamos o nosso eu ao mais alto patamar ao ponto de não poder sofrer nada sem que nos mergulhemos em rancor, sem que espalhemos o nosso veneno.

Há o risco real da amargura entenebrecer o coração humano ao ponto dele se privar dos benefícios da graça de Deus. O escritor aos hebreus alerta, não há como prosseguir olhando para Cristo com o coração amargurado, não há como alimentar o rancor sem deixar de olhar para Jesus, ou eu olho para Ele ou eu olho para meu coração!

Hey, olhe para Cristo, não se prive da graça de Deus, mergulhe nela, deixe que ela limpe toda amargura, todo rancor, toda raiva, pois se você permitir que esses sentimentos brotem em seu coração o dano será terrível não apenas para você, mas também para aqueles que estão ao seu redor.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.