Longe de casa e da família, o filho pródigo cai em si e percebe o quão errado estava ao requerer os bens de seu pai para gastar com seus próprios prazeres.

Compreendendo que havia pecado contra seu pai e contra o próprio céu aquele jovem propõe em seu coração retornar para casa, mas estava disposto a não ser mais considerado como filho.

No entanto, Jesus ao narrar o seu retorno acentua o amor do pai, ele não apenas estava esperando seu filho, que poderia estar longe há semanas, meses ou até mesmo anos, mas também o aguardava com tamanha ansiedade que, a qualquer sinal dele, estaria pronto para recebe-lo.

Ao contrário do que havia imaginado o pai nem sequer pensou em tratar seu filho como empregado, pelo contrário, lhe restitui o anel da família, lhe forneceu roupas novas e preparou uma grande festa para comemorar seu retorno.

Deus não faria diferente, jamais receberia um filho Seu e o trataria com desdém por ter saído de casa, jamais o desprezaria.

A ideia de que não somos aceitos por Deus por causa de nossos pecados não é real, mas parte da mente maligna do diabo que tenta nos impedir de desfrutar da plena, completa e total restauração promovida pelo Pai eterno a todos aqueles que se arrepende.

Retorne para os braços do Pai, ele ansiosamente lhe aguarda.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.