Ao escrever para a igreja em Tessalônica acerca das notícias que havia recebido por meio do jovem Timóteo, Paulo declara que, enquanto esteve com os irmãos, seu objetivo em anunciar o evangelho se pautou somente no poder de Deus.

Os resultados da pregação do Apóstolo Paulo eram visíveis em Tessalônica, a igreja não apenas crescia no desenvolvimento de sua fé e de sua convicção no Evangelho, mas também impactava a sociedade na qual estava inserida.

Paulo sabia que a conversão e a salvação não estão relacionadas à capacidade do pregador, ao mérito humano ou à metodologia adotada. Infelizmente temos priorizado metodologias de crescimento, fórmulas de culto e estamos nos esquecendo do essencial “poder, Espírito Santo e certeza”.

Sem o agir do Espírito Santo não há salvação de almas, é Ele que ilumina o coração depravado do homem e o chama para a luz, é Ele que age no mais duro coração e trabalha para que a Soberana Vontade de Deus seja feita. E aqui não estamos falando de barulho, de gritaria, de “reteté”, estamos falando de poder real do Espírito Santo, o manifestar de Sua missão no mundo que é convencer o homem do pecado, da justiça e do juízo.

As palavras de Paulo não estavam apenas cheias do Espírito Santo, mas também cheias de certeza, de convicção. Pregamos sobre salvação, santificação, manifestação do poder de Deus, mas será que cremos realmente?

Os frutos da pregação de Paulo eram visíveis na igreja de Tessalônica e o poder do Espírito Santo manifesto naquela congregação os impulsionava a viver intensamente enquanto esperava a Volta de Cristo Jesus (v. 10).

Hey, quando colocarmos em prática a pregação do Evangelho permeada pelo Espírito Santo e pela fé, presenciaremos não apenas uma Igreja ativa e operante, mas também uma Igreja que clama pelo retorno do Rei para julgar os bons e os maus.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.