Embora o contexto dos versículos sejam profecias de juízo de Deus contra o povo por sua apostasia, podemos aplicar a orientação do Senhor em nossas vidas.

A palavra do Senhor entregue ao profeta exorta o povo a não se gloriar no que é perecível, o sábio não deve se gloriar em sua sabedoria, pois ela desaparecerá na sepultura, o forte não deve se gloriar em sua força, pois uma gripe e tudo vai por água abaixo e o rico não deve se gloriar em sua riqueza, pois alguns meses de recessão econômica coloca anos de trabalho a perder.

Não há nada neste mundo em que devemos nos gloriar ou que devemos colocar em alta estima a não ser conhecer ao Senhor. Enquanto a sabedoria, a força e as riquezas são passageiras, o Senhor é eterno e o conhecimento que temos dEle permanecerá eternamente.

Isso não significa, no entanto, que o conhecimento de Deus nos coloca acima dos outros. Pelo contrário, o Senhor não nos chama apenas para nos gloriarmos em conhece-lo, mas também para observar seus atos de beneficência, juízo e justiça, ou seja, para reconhecer a Sua eterna soberania e a nossa pequenez diante dEle.

Se você tiver que se gloriar, glorie-se no Senhor e em conhece-lo cada vez mais.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.