Em suas palavras finais aos irmãos da Igreja de Filipos o Apóstolo Paulo lhes apresenta alguns critérios a serem observados quando estes avaliarem o que estavam ocupando suas mentes.

Jesus, no Sermão da Montanha, apresenta aos seus discípulos um conceito até então desconhecido de pecado, para o judeu eu me tornaria assassino a partir do momento que eu matasse alguém, no entanto, Jesus declara que a partir do momento que eu odeio ou ofendo, deliberadamente, meu próximo eu já me torno um assassino.

“A ofensa deliberada ataca a honra pública do irmão, intenta torna-lo desprezível diante dos outros, almeja odiosamente a destruição de sua existência íntima e externa. Estou executando nele a sentença. Isso é assassinato” (Dietrich Bonhoeffer)

E não apenas isso, Jesus declara que todos os pecados nascem e são consumados na mente, no intelecto humano para, depois, serem executados. Um adúltero já havia pecado em seu coração muito antes de adulterar, um ladrão já havia cobiçado o não era seu e, assim pecado contra o próximo, antes mesmo de tocar no objeto de seu furto.

Todo pecado nasce na mente, nos pensamentos humanos e, por esse motivo, o Apóstolo Paulo alerta os irmãos de Filipos para que eles filtrem tudo aquilo que passa por suas mentes. E hoje, mais do que nunca, é necessário que avaliemos cada pensamento nosso.

O que penso é verdadeiro, está de acordo com a Verdade que se fez carne? É honesto, é justo ao ponto de ocupar a mente de um filho de Deus? É puro, é amável, possuí boa fama? Há virtude naquilo que penso, há algum louvor em minhas reflexões?

Se considerarmos esses critérios apresentados pelo Apóstolo Paulo iremos evitar muitas quedas, tentações e pecados.

Hey, mantenha a sua mente alinhada com Deus, com Sua Palavra e que seus pensamentos sejam sempre puros e santos.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.