Ao escrever algumas orientações pastorais e pessoais para o jovem ministro, o Apóstolo Paulo lhe orienta a evitar conversas e falatórios profanos, sem sentido, pois eles apenas produziriam mais iniquidade (v. 16).

Timóteo deveria, ao invés disso, se dedicar à Palavra, cultivar uma vida pura diante de Deus (v.15), por um único motivo: todo aquele “... que profere o nome de Cristo aparte-se da iniquidade”.

O fundamento apresentado pelo Apóstolo, e sobre o qual o jovem Timóteo deveria se firmar, é dividido em dois importantes conceitos da teologia cristã: a Soberania de Deus e a responsabilidade humana.

Paulo escreve afirmando que Deus conhece aqueles que são fiéis, assim como um pai conhece seus filhos e todo aquele que se aparta da iniquidade e se dedica ao Senhor é para Ele como um vaso de honra (v. 21).

Há alguns devocionais tratamos acerca da reverência que devemos ter ao Nome de Deus, do zelo que devemos desenvolver em santificar o Seu Santo Nome e, o que Paulo escreve para o jovem Timóteo, segue essa mesma linha.

O zelo e o temor ao Senhor Jesus devem ser evidentes em nossa maneira de viver, em nossas ações e em nossos desejos. Paulo é enfático, aquele que profere o nome de Cristo que se afaste da iniquidade.

Infelizmente nossa geração tem sido ludibriada com um sentimento perverso de tratar Cristo apenas como um coitado que foi crucificado, de se referir ao Seu Santo Nome como se ele não significasse absolutamente nada.

Hey, o Senhor conhece os que são seus e, se professamos a Cristo, nos apartemos da iniquidade, nos santifiquemos nEle e nos separemos para que assim sejamos tidos como vasos de honra diante de Deus.

Que o Senhor lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.