O evento emblemático na Paixão de Cristo: “o véu se rasgou”. Ficamos maravilhados em pensar neste momento, quando a separação que havia entre Deus e os homens foi removida.

Sempre ouvimos dizer que o véu se rasgou para que nós tivéssemos acesso ao Senhor Deus, sim é correto, mas vamos enxergar este evento por outro ângulo.

Qual era o papel do véu? O véu separava o Lugar Santo do Santo dos Santos, somente uma vez no ano o Sumo Sacerdote entrava no Santo dos Santo para apresentar sacrifícios ao Senhor pelos pecados do povo, isso ocorria no Yom Kippur, ou Dia do perdão.

Somente uma vez no ano, através de um mediador, o povo podia se apresentar a Deus!

Embora Deus seja Onipresente podemos entender que Sua Presença se limitava ao Santo dos Santos, não era todas as pessoas que podiam se apresentar a Ele.

Mas quando Jesus morre acontece algo inacreditável, o véu se rasga. Aqui encontramos duas verdades: a primeira é o cumprimento total da Lei em Jesus, e a segunda… Essa é a melhor parte, Deus “sai” do Santo dos Santos para estar ao alcance de toda a humanidade.

Enxergamos o véu se rasgando na perspectiva de que passamos a ter acesso ao Senhor, mas mais glorioso é a ideia de que o próprio Deus rasga o véu e passa por ele e vem em direção daqueles que jamais poderiam entrar, ao menos, no Lugar Santo.

Agora o Senhor está ao alcance de todo aquele que o invocar.

Não menospreze essa oportunidade que você tem de buscar a Deus, de falar com Ele sem a necessidade de um mediador humano, Ele já rasgou o véu e veio em nossa direção, apenas o invoque!

Fique na paz de Cristo, te espero amanhã em mais um #LittleDevocional