Muito se fala acerca da graça e, de certa forma, isso é excelente, pois é pela graça que somos salvos. No entanto, o que realmente significa ser salvo pela graça?

Em primeiro lugar a salvação pela graça, através da fé, nos mostra que nenhum esforço que possamos fazer seria o suficiente para alcançar o padrão de retidão exigido por Deus. Lembra quando meditamos no fato de que Deus é santo, que é separado? Então, o padrão de justiça e santidade que Ele exige é o padrão no qual Ele mesmo se encontra.

Porém, uma vez alcançados pela graça devemos compreender que não estamos livres de tudo e de todos. Muitos associam a graça com a liberdade completa do ser humano, inclusive para pecar e viver suas próprias vontades.

Mas se você ler o que o Apóstolo Paulo escreve em sua carta aos Romanos no capítulo 6 verá que, na realidade, agora somos servos de Cristo. Isso significa que não estamos debaixo de nossa própria vontade, mas da vontade de Deus.

Prova disso é que toda vez que você peca sua consciência não descansa enquanto não se confessar ao Senhor, o que antes era normal na antiga vida, agora é completamente terrível. E aqui se encontra um paradoxo, uma dualidade, incrível e maravilhosa: somos servos de Deus ao mesmo tempo que somos livres.

A graça nos livra de nós mesmos e nos torna servos da vontade de Deus para que, pela liberdade que há na vontade de Deus, possamos também ser livres. Conforme declara Boécio, um teólogo e filósofo cristão do século V, quanto mais a alma humana se aproxima de Deus, mais ela é livre, pois o próprio Deus é livre.

Hey, jamais considere o seu próprio esforço o motivo de sua salvação, jamais reduza a graça de Deus manifesta em Jesus e, o mais importante, jamais se apoie na graça como se ela fosse uma carta branca de Deus para você fazer tudo o que deseja.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.