De onde provém a sua felicidade? A sua alegria? Daquilo que você possuí, do que você conquistou, da sua capacidade intelectual?

Não há nada de errado em se alegrar com as conquistas materiais, com um novo emprego ou a tão sonhada aprovação na universidade. Mas o salmista declara que em seu coração havia sido plantada uma alegria que excedia qualquer compreensão, que não dependia das circunstâncias ou de suas conquistas.

Ele compara o tamanho dela declarando que sua dimensão era maior até mesmo do que a alegria que tomava conta dos corações dos agricultores em tempos de colheitas fartas.

Não vivemos tempos fáceis e não estamos desprezando a trágica realidade de nosso mundo, mas aprendemos com o salmista que somente de Deus provém a nossa plena satisfação. Se você coloca sua alegria nas conquistas desde mundo o que restará quando perder tudo?

Busque a alegria que vem do alto, que nada pode comprar e nenhuma tempestade pode apagar. Rogue pela alegria do Espírito Santo e descanse nEle (v. 8).

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.