O Evangelista Lucas nos deixa registrado a história de um homem que, movido pelo seu desejo de conhecer o Mestre recebe, gratuitamente, dEle a salvação de sua alma. Mas o mais interessante é o plano de fundo onde os eventos transcorrem.

Enquanto os fariseus e todo o povo murmurava contra Jesus por Ele ter se hospedado na casa de um cobrador de impostos (que por sinal eram odiados pelos judeus, pois cobravam de seu próprio povo altas taxas para Roma) Jesus declara que, naquele momento, a salvação havia chegado para aquele lar.

A indignação do povo contra Zaqueu e contra Jesus era motivada pela prepotência deles em crer que suas obras os salvariam ou os tornariam mais agradáveis a Deus.

Infelizmente, nós não estamos livres deste mal. Ainda hoje encontramos homens e mulheres que se indignam quando um perdido é salvo. Mas a resposta do Mestre é enfática e clara: Ele veio salvar aquele que se havia perdido e não aquele que pensa que nunca se perdeu.

Não é a sua justiça que lhe tornou agradável ao Senhor Deus, não foram seus bons atos que compraram a sua salvação e, portanto, ao invés de se indignar com a salvação do perdido, alegre-se com o Senhor pelo arrependimento de um pecador.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.