O capítulo mais conhecido dentre todas as cartas do Apóstolo Paulo: a excelência do amor. Recomendo que leia, calmamente, o capítulo inteiro, mas leia sem impor ao texto suas ideias e conceitos.

Muitas vezes tratamos este capítulo como sendo uma descrição do amor, mas o Apóstolo Paulo não tinha apenas isso em mente. Ele não está tratando do amor que você sente por seus amigos, por seus irmãos, pais ou cônjuges.

O amor que Paulo trata é mais profundo, é um amor que aceita o sofrimento que lhe é imposto, suporta a dor e a ofensa. É o amor que é capaz de abraçar não apenas os amigos e próximos, mas também (e principalmente) os inimigos.

A conclusão que Paulo apresenta nos leva à essa compreensão “O amor nunca falha; mas havendo profecias, serão aniquiladas; havendo línguas, cessarão; havendo ciência, desaparecerá” (v. 8).

Na eternidade não necessitaremos de profecias, pois a Palavra já terá sido cumprida, não necessitaremos de línguas e nem de conhecimento, no entanto, o amor de Deus por aqueles que antes eram seus inimigos, permanecerá para todo sempre.

Reflita no tipo de amor que Paulo fala e lembre das palavras de Jesus para que amássemos nossos inimigos. Não é fácil, sei muito bem disso. É extremamente difícil amar aquele que lhe afronta, lhe ofende e agride.

Hey, mas é isso que Deus exige, afinal Ele nos amou quando ainda afrontávamos, ofendíamos e agredíamos a Ele.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.