No encerramento da carta aos Hebreus encontramos uma série de orientação práticas e saudações. No entanto, o versículo cinco é bastante interessante e, com toda certeza, com

Mas qual o problema da avareza? Em vários textos as Sagradas Escrituras nos apresentam a avareza como algo a ser evitado pelo cristão e o motivo se encontra, principalmente, no fato de que todo o avarento se torna idólatra.

O amor ao dinheiro e o esforço obsessivo em ter mais e mais coloca Deus para fora do caminho e centraliza o que jamais deveria estar em prioridade.

Sabendo disso o escritor aos Hebreus nos chama para uma vida isenta de qualquer coisa que nos possa fazer confiar em nós mesmos, em nossas próprias forças e em nossos próprios recursos.

Quando passamos a colocar os bens materiais acima de Deus e passamos a buscar todas as demais coisas, deixando para segundo plano o Reino e a Justiça do Pai eterno, estamos, mesmo que inconscientemente, dizendo para o Senhor que não confiamos o suficiente nEle para descansar em Seus braços e confiar no sustento que Ele nos proporciona.

Mas não é isso que o Senhor desejou para nós! Ele nunca quis que em nosso coração reinasse as coisas desse mundo. Ele deve estar no centro de nossas vidas e somente Ele pode nos prover aquilo que necessitamos.

O Senhor nos fez uma promessa: “Não te deixarei, nem te desampararei”. E a avareza nos faz desacreditar na promessa de Deus e em Seu cuidado paternal. Na realidade, o avarento declara para o Senhor que não confia nEle o suficiente para deixá-lo assumir o controle de sua vida.

Hey, Deus jamais desampara um filho Seu! Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.