Alguns fariseus se aproximam do Mestre e pede que Ele lhes dê algum sinal, afirmando que assim creriam nEle. Jesus, contudo, lhes responde que nenhum sinal seria dado a eles a não ser o sinal do profeta Jonas que passou três dias e três noites no ventre do grande peixe.

Automaticamente associamos a afirmação de Jesus à sua morte e ressurreição, e de fato Ele tinha em mente isso, mas você já se perguntou por qual motivo Jesus afirma isto?

No Little Devocional de número 12 meditamos sobre a necessidade da ressurreição na fé cristã, se ela não aconteceu, somos os mais miseráveis dos homens. E o que Jesus nos apresenta aqui expande, ainda mais, a grandiosidade deste evento.

Os fariseus queriam um sinal, talvez queriam que Jesus fizesse fogo cair do céu, mortos ressuscitarem, eles queriam ver coisas sobrenaturais a fim de crer nEle, contudo, o Mestre os interrompe e os guia em outra direção.

De nada adiantaria os sinais se eles não cressem na ressurreição, de nada adianta procurarmos evidências da existência do sobrenatural se não passarmos primeiro pelo túmulo vazio. Muito se fala hoje sobre o amor de Deus, mas essa não é a mensagem central do Evangelho.

Leia Atos e verá que toda pregação dos Apóstolos possuía como clímax e pivô central um único elemento: a ressurreição de Jesus. É ela que valida nossa fé, podemos curar enfermos, ressuscitar mortos, fazer cair fogo dos céus, mas se negarmos a ressurreição seremos como os fariseus, estamos apenas em busca de barulho.

Jesus declara que nenhum outro sinal seria dado às gerações que questionam a Sua autoridade, nenhum sinal será dado ao cético a não ser o túmulo vazio, à Soberana vitória de Deus sobre a morte.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.