Ao escrever para a Igreja de Corinto o Apóstolo Paulo traça um paralelo entre os coríntios e o povo de Israel (v. 17), assim como Deus ordenou que o povo se purificasse antes dEle se manifestar no Sinai, Ele também ordena que Sua Igreja se purifique, pois não há comunhão entre aqueles que são de Cristo e aqueles que são de Belial (v. 15).

A orientação de Paulo e o seu chamado feito para que os irmãos se santificassem estava firmado na promessa feita por Deus, “... eu serei o seu Deus e eles serão o meu povo” (v. 16).

A promessa de Deus em habitar no meio de nós deve provocar em nossos corações e mentes o desejo de abandonar tudo o que é impuro e imundo.

O chamado à santidade não deve estar firmado no medo, na possibilidade de condenação eterna, mas sim na promessa de Deus de que Ele mesmo estará entre nós e nós seremos para Ele como filhos e filhas.

Deus é o nosso Pai, em Cristo Jesus somos feitos pequenos filhos de Deus. Somos pequenos, pois dependemos dEle para todas as coisas, mas como filhos podemos descansar e confiar que Ele tem o que é, eternamente, melhor para nós.

Que Deus lhe abençoe.