Somos chamados filhos de Deus por causa do grande amor do Pai, mas não apenas isso. O Apóstolo João ao escrever sobre nossa filiação divina e sobre o grande amor do Pai, declara que, por sermos alvos deste amor, seremos odiados pelo mundo.

O mundo não nos conhece, pois ele não conhece a nosso Pai. Quando você é perseguido, maltratado ou afrontado por sua fé não é a você que perseguem, estão perseguindo ao Deus que habita em você.

Sem Deus somos como qualquer outro ser humano, destituídos de qualquer bem moral e espiritual. Um homem ou mulher sem Deus não provoca nenhuma aversão ao contexto em que vive, pois ele/ela vive assim como todos os outros.

Mas aqueles que receberam a adoção, a filiação eterna, condena o mundo com suas práticas, sua vida resplandece a luz do próprio Deus que, desde Adão, vem sendo rejeitado pela humanidade.

Nossa filiação divina provoca no mundo a repulsa, pois é antinatural para o homem caído amar a Deus. Porém, em contrapartida, podemos nos alegrar com as perseguições, as aflições e as angústias que sofremos neste mundo, pois elas nos revelam não apenas que somos bem-aventurados, mas também que pertencemos ao Pai.

Hey, ser filho/filha de Deus não significa que você viverá em um “mar de rosas”, pelo contrário, o Espírito Santo que habita em você irá incomodar aqueles que estão em trevas, mas não se preocupe, não é você que o mundo odeia, mas o Deus que em você habita.

Que Deus lhe abençoe e até amanhã em mais um #LittleDevocional.